0 comentário(s)

[FIERN] Maestro Eugênio Graça participou da Mostra Artístico Cultural do SESI e destacou atividades da SESI Big Band

O maestro Eugênio Graça foi o convidado de uma das edições deste ano da Mostra Artístico Cultural (MAC), evento que promoveu o interesse dos alunos do  SESI-RN pelo desenvolvimento da criatividade, arte e cultura.

 

O SESI realiza a MAC há seis anos e, em 2020, fez sua primeira edição remota, com tema geral “Não há distância quando a Arte nos conecta”. No dia da participação do maestro, uma segunda-feira, o subtema foi a família.

Ao participar da Mostra, o mastro Eugênio Graça falou sobre a formação e as atividades da SESI Big Band, que integra o projeto SESI ARTE. A SESI Big Band é uma orquestra de Jazz formada por instrutores e professores do SESI, com seis saxofones, cinco trombones, quatro trompetes, tuba, contrabaixo, piano, guitarra, percussão e bateria; sob a direção artística e regência de Eugênio Graça.

Durante a mostra virtual, maestro Eugênio Graça também participou de uma roda de conversa com os alunos do SESI/RN, os quais puderam fazer questionamentos relevantes sobre “o mundo da quarta arte, a música”.

 

Fonte: FIERN 

0 comentário(s)

[ALRN] PROJETO PREVÊ PRIORIDADE EM ESCOLAS PARA CRIANÇAS EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE

O deputado estadual Kleber Rodrigues (PL) apresentou Projeto de Lei na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte sobre a prioridade de vagas nas escolas de tempo integral da rede pública de ensino às crianças em situação de vulnerabilidade no Rio Grande do Norte. De acordo com o texto, a prioridade consiste na garantia de matrícula na série procurada pelo aluno, condicionada ao quantitativo de vagas ofertadas.

Conforme o PL nº 259/2020, são consideradas vulneráveis as crianças que se encontrem nas seguintes situações: abuso e maus-tratos na família ou nas instituições de acolhimento; exploração e abuso sexual; abandono e/ou negligência; trabalho abusivo e explorador; tráfico de crianças; acolhidas em abrigos geridos pelo poder público ou em instituições privadas sem fins lucrativos devidamente cadastradas junto ao Estado; em situação de rua e, depois de previamente triados pelo poder público, inseridos em programa de acolhimento familiar ou institucional; e outras situações previstas em lei.

Para o deputado propositor do Projeto de Lei, garantir esse direito de prioridade na matrícula a essas crianças representa a concessão de uma oportunidade de superação e de busca efetiva da cidadania através da educação. “Significa afastá-los de uma situação indigna de vida e oferecer meios para que possam mudar o futuro, visto que a escola em tempo integral vai trazer uma maior exposição de estudantes ao serviço de educação e um menor tempo de exposição aos riscos”, justificou.

 

Fonte: ALRN 

0 comentário(s)

[FIERN] Diretor da FIERN participa de encontro promovido pelo BNB sobre o FNE

A programação do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para 2021 foi tema do debate desta quinta-feira (24), em encontro virtual transmitido pelo Canal do Banco do Nordeste no YouTube. O encontro foi acompanhado pelo diretor primeiro secretário da FIERN e presidente da Comissão Temática da Micro e Pequena Empresa da Federação, Heyder Dantas, que representou a indústria do Rio Grande do Norte no evento.

 

 

O diretor de Planejamento do Banco do Nordeste, Bruno Ricardo Pena, destacou, durante a videoconferência, que entre o início de 2016 e agosto deste ano, o BNB emprestou mais de 100 bilhões na região, com recursos oriundos do FNE. “Isso mostra a importância deste Fundo Constitucional em favor dos agentes produtivos da região. Esses recursos são direcionados a diversos setores, mas com o foco do Banco do Nordeste nos micro e pequenos produtores e empreendedores”, acrescentou.

 

Heyder Dantas disse que as informações apresentadas na videoconferência mostram o papel relevante que o FNE desempenha na região Nordeste e as perspectivas são de que o BNB tenha uma atuação no próximo ano ainda mais significativa. “Isso será fundamental a partir de agora, e ainda mais no próximo ano, diante da necessidade de um empenho das instituições de fomento, como o Banco do Nordeste, para se tenha uma retomada após esse período de retração, provocada pela pandemia”, ressaltou o diretor da FIERN.

O FNE foi criado pela Constituição Federal de 1988, como instrumento de financiamento da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento econômico dos nove estados do Nordeste e do norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. É administrado pelo Banco do Nordeste, como agente do Governo Federal na Região.

Nos últimos três anos (2017 a 2019), por meio de diversas linhas de financiamento e programas, o Banco contratou com recursos do FNE o valor total de R$ 78,1 bilhões. Somente no primeiro semestre de 2020, do orçamento de R$ 25,3 bilhões para o exercício, o BNB já contratou R$ 12,5 bilhões. Especificamente no Ceará, no mesmo período de 2017 a 2019, foram contratados R$ 10,2 bilhões, sendo que, nos primeiros seis meses de 2020, da meta de R$ 3,8 bilhões para o Estado, o volume de contratações realizadas chega a R$ 2,1 bilhões.

 

Fonte: FIERN

0 comentário(s)

[ALRN] DEPUTADOS DIVIDEM OPINIÃO SOBRE OMS E DEBATEM SOBRE REFORMA DA PREVIDÊNCIA

O deputado Vivaldo Costa (PSDB) foi o primeiro dos sete parlamentares a se pronunciar no horário destinado aos deputados, na sessão desta quarta-feira (23) na Assembleia Legislativa. Ele falou sobre a Covid-19, e explicou que acredita na Ciência e na Organização Mundial da Saúde (OMS), porque sua formação foi no Hospital Giselda Trigueiro, especializado em doenças infecciosas.

“Eu acredito na Ciência. Passei dez anos no hospital Evandro Chagas, hoje Giselda Trigueiro, fui monitor da médica Giselda Trigueiro, adjunto dela, minha formação é acadêmica”, disse Vivaldo, para justificar que não acredita que receitas como o medicamento Ivermectina impeçam que se contraia a Covid. Ele disse que um amigo tomava, achava que estava protegido e saía de casa, contraiu o vírus, se internou e morreu. Vivaldo também citou municípios que registraram casos de Covid, mas não registraram mortes, e que as prefeituras não receitaram Ivermectina.

Contrapondo Vivaldo, o deputado José Dias (PSDB) disse que não acreditava na Organização Mundial de Saúde. Para ele, o chefe da OMS influencia países pequenos. José Dias também falou sobre a reforma da Previdência do Estado que deverá ser votada nesta quinta-feira (24). “Foi um erro gravíssimo deixar para a última hora”, disse José Dias, reforçando que permanece no grupo dos 10 deputados de oposição, mas que não irá “votar contra por votar contra. Disse que irá seguir o grupo.

O deputado Souza (PSB) se pronunciou sobre a economia do Rio Grande do Norte, sugerindo que a governadora Fátima Bezerra (PT) repensasse sobre o decreto que envolve a Área de Proteção Ambiental (APA) das Dunas do Rosado, em Porto do Mangue, que impede a instalação de um porto. Também pediu a liberação das caieiras do município de Dix-Sept Rosado, por se tratar da maior fonte de renda do município e que ainda estão paradas. “O que não pode é simplesmente a atividade ficar paralisada”, disse Souza, sugerindo um Termo de Ajustamento de Conduta assinado pelo Ministério Público, Idema e Procuradoria Geral do Estado.

Francisco do PT utilizou seu tempo para lembrar que seu mandato encaminhou requerimento ao ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, solicitando a recuperação da parede da barragem Passagem das Traíras, no Seridó. E agradeceu a participação de deputados da Casa e de parlamentares federais para que as obras tenham sido autorizadas pelo DNOCS. “Não quero me arvorar da paternidade”, explicou Francisco.

O deputado Tomba Farias (PSDB) chamou a atenção da governadora Fátima Bezerra para a realização de operações tapa-buracos no Trairi, afirmando que a região tem ficado de fora das ações do Governo do Estado. Também cobrou que, dentro da programação de retomada de abertura de Centrais do Cidadão, o município de Santa Cruz não fique de fora como já foi anunciado pelo Governo. “Santa Cruz é uma cidade polo”, alertou Tomba, lembrando que a cidade oferece serviços de saúde, educação e comércio a mais de 10 municípios vizinhos.

O deputado Hermano Morais (PSB) solicitou que a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa coloque em pauta para votar dois projetos de lei de sua autoria que são muito importantes para a população. “Um é o projeto que incentiva a economia criativa”, disse Hermano, reforçando que o outro projeto permite que o Governo do Estado, preferencialmente, adquira produtos e serviços das micro e pequenas empresas do Rio Grande do Norte durante a pandemia. “O setor produtivo passa por muitas dificuldades”, disse Hermano que compõe a Frente Parlamentar de Apoio às Micro e Pequenas Empresas na Assembleia.

O deputado Getúlio Rêgo (DEM) lamentou a falta de debates na Casa sobre a reforma da Previdência do Estado e afirmou que a governadora Fátima Bezerra “se fechou” em relação ao tema. “Sabemos que é inadiável”, reforçou Getúlio, lembrando que o prazo se encerra no final do mês. Ele voltou a fazer críticas à governadora, definindo como “incoerente” a posição dela sobre reforma da Previdência quando era senadora, e agora como chefe do Executivo estadual.

 

Fonte: ALRN

0 comentário(s)

[FIERN] Programa RN Cresce+ tem medidas de incentivos fiscais e tributários

O Programa RN Cresce +, lançado pelo governo do Estado, tem um dos seus principais instrumentos para estimular a retomada do desenvolvimento no Rio Grande do Norte as medidas fiscais e tributárias. O programa é um plano multisetorial de estímulo o crescimento da economia com ações de curto, médio e longo prazos. As medidas incluem possibilidade de renegociação de dívidas dos contribuintes com ICMS e IPVA, extensão de incentivos fiscais aos setores de confecções e sal e novos regimes tributários a segmentos como autopeças, bebidas e pesca.

“Lançamos, com a governadora Fátima Bezerra, o RN Cresce +, um conjunto de medidas que visam acelerar a retomada da economia do RN no último quadrimestre de 2020 e em 2021. As medidas vão desde o refinanciamento de dívidas de ICMS e IPVA com reduções significativas dos juros e multas, até incentivos para setores estratégicos da produção, como a indústria têxtil”, destacou o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier. “Há também rearranjos tributários nos setores de bebidas, autos e motopeças, turismo e pesca”, acrescentou.

Nesta terça-feira, Carlos Eduardo Xavier entregou — ao presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza — o projeto de lei define as condições para o parcelamento e desconto de juros e multas de débitos tributários com o fisco estadual. O texto agora deve ser discutido e votado na Assembleia. Trata-se da proposta de Regularização Fiscal (Refis) para tributos estaduais e amplia o parcelamento de 60 para 84 meses para empresas em recuperação judicial.

Segundo Carlos Eduardo Xavier, o Refis proposto permite parcela dívidas com ICMS e IPVA até julho de 2020, com os 60% de descontos nos juros e nas multas. E 95% de redução também nos juros e multas para pagamento a vista. A adesão tem que ocorrer até o dia 31 de dezembro deste ano.

O Cresce +, nas medidas tributárias, também inclui uma série de decretos que foram publicados em edição extra do Diário Oficial do Estado. Entre os decretos, estão o que alteram o Regulamento do ICMS, para “prorrogar a redução da base de cálculo do ICMS incidente nas operações com sal marinho produzido no Rio Grande do Norte” e o que “classifica a indústria têxtil e de confecções como relevante para efeito do PROEDI, o que eleva o valor mínimo do crédito presumido relativo ao referido incentivo fiscal para 90%.”

Coordenador do Mais RN, o consultor da FIERN José Bezerra Marinho afirma que esse programa voltado à retomada do desenvolvimento do Estado “tem a marca do diálogo, que caracteriza o governo no relacionamento com o setor produtivo”. “O governo mantém com classe produtiva o diálogo permanente e não foi diferente neste projeto, que atende sugestões e reivindicações do setor”, afirmou José Bezerra, que representou a Federação das Indústrias no lançamento do programa, na segunda-feira, em solenidade na Escola de Governo.

 

As medidas fiscais e tributárias do Programa Cresce+ :

>> REFINANCIAMENTO GERAL DE DÉBITOS TRIBUTÁRIOS ANTERIORES E ATÉ JULHO DE 2020: PARCELAMENTO COM REDUÇÃO DE ATÉ 95% DE JUROS E MULTA;

>> ELABORAÇÃO DA LEI GERAL ESTADUAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA: AMBIENTE FAVORÁVEL AOS PEQUENOS NEGÓCIOS DO SIMPLES NACIONAL;

>> PARCELAMENTO ESTENDIDO A EMPRESAS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL: DÉBITOS PARCELADOS EM ATÉ 84 VEZES EM CONDIÇÕES ESPECIAIS;

>> MANUTENÇÃO DA REDUÇÃO DAS ALÍQUOTAS DO ICMS DO QAV PARA COMPANHIAS AÉREAS: BENEFÍCIOS FICAM MANTIDOS ATÉ 31/12/2020 INDEPENDENTE DAS CONTRAPARTIDAS;

>> PRORROGAÇÃO DA REDUÇÃO DO ICMS DE ENERGIA PARA O SETOR HOTELEIRO: A ALÍQUOTA FICA FIXADA EM 12% PARA ESSAS EMPRESAS ATÉ 31/12/2021;

>> INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÕES PASSA A SER CLASSIFICADA COMO RELEVANTE NO PROEDI: ESSAS EMPRESAS TERÃO CRÉDITO PRESUMIDO MÍNIMO DE 90%;

>> PRORROGAÇÃO DA REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO DO ICMS DO SAL MARINHO: MANTER A REDUÇÃO PARA TORNAR O SAL MARINHO POTIGUAR COMPETITIVO

>> RETIRADA DE AUTOPEÇAS E VINHOS DO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA: AMPLIA A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS POTIGUARES DO SETOR DO COMÉRCIO: AMPLIA A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS POTIGUARES DO SETOR DO COMÉRCIO;

>> PRORROGAÇÃO DO CREDENCIAMENTO DE OFÍCIO: PRAZO DILATADO ATÉ 31/12/2020 PARA PAGAMENTO DO ICMS ANTECIPADO;

>> NÃO EXCLUSÃO DOS REGIMES ESPECIAIS AS EMPRESAS COM DÉBITOS VENCIDOS ATÉ 31/08/2020: EMPRESAS NÃO PERDEM O BENEFÍCIO FISCAL SE O DÉBITO FOR QUITADO ATÉ 31/12/2020;

>> FOMENTO AO DE BENEFICIAMENTO DA LAGOSTA, MEDIANTE A ADOÇÃO DO CRÉDITO PRESUMIDO PARA AS INDÚSTRIAS: CARGA TRIBUTÁRIA DE 1,8% DE ICMS NA LAGOSTA BENEFICIADA NO RN;

> ISENÇÃO DE TAXA DE ABERTURA DE NOVAS EMPRESAS ATÉ 31/12/2020: ESTIMULAR A CRIAÇÃO DE NOVOS NEGÓCIOS NO RIO GRANDE DO NORTE.

 

Fonte: FIERN

0 comentário(s)

[ALRN] PROJETO DE UBALDO QUE COMBATE GOLPES FINANCEIROS CONTRA IDOSOS É SANCIONADO

Um projeto de lei de proteção ao idoso, de autoria do deputado Ubaldo Fernandes (PL), foi sancionado pela governadora do Estado, Fátima Bezerra. A lei n° 10.774 foi publicada no Diário Oficial do Estado e institui a campanha de conscientização quanto os golpes financeiros praticados contra os idosos em todo o Rio Grande do Norte. Esta campanha prevê o desenvolvimento de ações educativas para prevenir e reprimir os crimes de estelionato contra o idoso, bem como proteger e auxiliar as vítimas desses golpes no Estado.

“Segundo dados de estimativa do IBGE de 2018, a população idosa do Rio Grande do Norte representa 12,4% da população total do Estado. Precisamos proteger esse público. Tem sido comum o registro de golpes contra os idosos, em geral, praticados dentro da própria família”, destaca Ubaldo.

Os tipos de golpes mais comuns praticados são a apropriação indébita de recursos financeiros ou bens, administração fraudulenta de cartão de benefícios previdenciários, contratação de empréstimos financeiros sem o conhecimento do próprio idoso, enfim, uma série de práticas que prejudicam muito a vida dessas pessoas. “Acredito que essas campanhas de cunho permanente darão maior amparo a esta camada importante da população”, afirma o deputado que também é presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa.

Conforme dados mais recentes do canal Disque 100, os casos de violência patrimonial contra a pessoa idosa tiveram aumento de 19% em 2019. Para 2020, com o isolamento imposto pela pandemia da Covid-19, acredita-se que a situação se tornou mais crítica. Vale salientar que qualquer tipo de violência contra idosos deve ser comunicado imediatamente ao Conselho Municipal do Idoso, Defensoria Pública, Polícia Civil ou Ministério Público.

 

Fonte: ALRN 

0 comentário(s)

[FIERN] Artigo – Desenvolvimento sustentável depende de mais investimentos em inovação

Desenvolvimento sustentável depende de mais investimentos em inovação

A edição 2020 do Índice Global de Inovação (GII, na sigla em inglês), principal ranking internacional sobre o tema, apresentou o Brasil na 62ª colocação entre 131 países, quatro posições acima em relação a 2019. Se à primeira vista o resultado é positivo, quando analisado o desempenho nos sete pilares que compõem o índice, o País registrou queda em seis. A discreta melhora está muito aquém do patamar alcançado em 2011 (47ª posição) e não condiz com a 9ª posição que ocupamos na economia global. Na comparação com os 18 países da América Latina e Caribe, nos posicionamos atrás de Chile (54ª), México (55ª) e Costa Rica (56ª).

Historicamente, no Brasil, oásis de eficiência e prosperidade convivem com ilhas de pobreza e outros atrasos, como a dificuldade de acesso à educação de qualidade, à saúde e a serviços públicos básicos. Conforme demonstrado na recente edição do índice global, geralmente ciência, tecnologia e inovação tendem a ser preocupações secundárias. Todavia, esses insumos são essenciais para o desenvolvimento econômico e social das nações. Nos países mais distantes da fronteira tecnológica, como o Brasil, é fundamental contar tanto com a utilização de tecnologias concebidas externamente quanto com a concepção e a produção tecnológica interna, a fim de impulsionar o avanço do País em áreas estratégicas.

Temos um longo caminho pela frente, o que torna as ações da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), criada há dez anos pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), ainda mais relevantes. Uma das prioridades da MEI é a modernização do financiamento à inovação, o que demanda investimentos significativos e perenes, tanto da iniciativa privada quanto do setor público, a exemplo do que ocorre em países como Estados Unidos, Alemanha, Israel, Japão e China. Em geral, as nações aplicam recursos públicos em atividades de pesquisa realizadas por universidades, institutos e empresas, muitas vezes em projetos conjuntos. A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) cumpre essa função: desde sua criação, em 2013, investiu mais de R$ 1,5 bilhão em projetos cooperativos entre empresas e unidades de pesquisa.

Entretanto, o nível de investimento público em pesquisa e desenvolvimento, no Brasil, está bem menor do que há 20 anos. Além disso, várias políticas públicas de financiamento à pesquisa e à inovação tecnológica estão sendo reduzidas ou sob risco de extinção, como é o caso do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fndct), principal instrumento de fomento nessa área. Nos últimos anos, esse Fundo tem passado por reiterados contingenciamentos de seus recursos. Em 2020, o orçamento previsto para o Fndct foi de R$ 6,5 bilhões. Porém, até agora, foi autorizada a liberação de pouco mais de 10% desse valor, comprometendo investimentos em inovação de setores-chave da economia.

Com o apoio da CNI, o Projeto de Lei nº 135 de 2020, que visa liberar integralmente os recursos do Fndct, foi aprovado recentemente no Senado. Em uma segunda etapa, passará por votação na Câmara dos Deputados, onde, espera-se, os parlamentares confirmarão a decisão. É preciso assegurar recursos e garantir que as políticas públicas de apoio à inovação sejam avaliadas com base em evidências e resultados. É crucial, também, investir em medidas assertivas e eficazes para que, assim, consigamos construir um futuro que tenha a inovação como base de um crescimento econômico sustentado e de um desenvolvimento virtuoso e inclusivo.

 

Artigo de Robson Braga de Andrade, empresário e presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), publicado na edição da revista ISTOÉ DINHEIRO, que começou a circular nesta sexta-feira (18/09).

 

Fonte: FIERN 

0 comentário(s)

[ALRN] MÊS DE SETEMBRO É DEDICADO AO DEBATE SOBRE A PREVENÇÃO DO SUICÍDIO

E por que precisamos falar sobre isso no ambiente de trabalho? A primeira razão é a quebra de tabus e o enfrentamento do problema. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), no mundo, a cada 40 segundos ocorre uma tentativa de suicídio, por isso e´ tão importante e necessário ter um mês inteiro dedicado à essa causa. O suicídio é uma questão de saúde pública e não podemos mais nos calar diante desse assunto tão necessário e preciso.

Os motivos e causas são multifatoriais, e´ uma questão individual e social, e´ um fenômeno complexo e uma única causa não e´ suficiente para explicar esse comportamento suicida, atualmente e´ conhecida a multicausalidadade de fatores, como fatores psicológicos, biológicos, sociais, ambientais e culturais e o trabalho também está´ incluído como uma das causas desses fatores. Falar sobre saúde mental no trabalho ainda e´ um tema tabu para muitas instituições. Porém, o Ministério do Trabalho alerta que esse tema tem que ser abordado e discutido no ambiente de trabalho.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), um ambiente de trabalho negativo pode levar a problemas de saúde física e mental de trabalhadores, além do uso abusivo de drogas e álcool, faltas e perda de produtividade.

Cuidar da sua saúde mental no ambiente de trabalho, principalmente nesse momento pandêmico, e´ perceber que quando vier sentimentos de sobrecarga, autocobranc¸a, estresse, ansiedade e cansaço, e´ necessário se desconectar, desligar, respirar, fazer pausas, descansar, respeitar e acolher seus limites para que você^ encontre o equilíbrio perdido.

O primeiro passo para ajudar ao colega de trabalho ou pessoas próximas a você^ e´ conversar e acolher de maneira gentil e empática. Reserve o tempo que for necessário para isso. Ouça efetivamente! Conseguir esse contato e ouvir e´ por si só´ maior passo para reduzir o nível de desespero desse indivíduo, mostrando que ha´ esperança e possibilidades que as coisas podem mudar para melhor. E´ entender os sentimentos da pessoa, dar mensagens verbal e na~o-verbal de aceitação e respeito, expressar respeito pelas opiniões e valores da pessoa, conversar honestamente e com autenticidade, mostrando preocupação, cuidado e afeição. E depois sugerir e/ou encaminhar para profissionais de saúde especializados, como psiquiatra e psicólogo ou no centro de valorização da vida (@cvvoficial ) ligando no 188.

 

Fonte: ALRN

0 comentário(s)

[FIERN] CADE aprova venda de pólo petrolífero da Petrobras no Rio Grande do Norte

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) analisou processo e deferiu parecer como favorável a Petrobras, na questão que trata da venda da sua participação no Polo Pescada para a OP Pescada Óleo e Gás, empresa subsidiária da Ouro Preto Óleo e Gás O despacho do órgão já está publicado no Diário Oficial da União (DOU).

 

A negociação aprovada foi na casa de US$ 1,5 milhão. A OP Pescada já era sócia da petrolífera no polo e agora busca os 100% majoritário. Segundo dados da empresa divulgados, a produção média do Polo Pescada, nos primeiros seis meses de 2020 deste ano foi de aproximadamente 260 barris de óleo por dia (bpd) e 190 mil m3/dia de gás.

 

“Essa operação está alinhada à estratégia de otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, passando a concentrar cada vez mais os seus recursos em águas profundas e ultra profundas, onde a Petrobras tem demonstrado grande diferencial competitivo ao longo dos anos”, disse a empresa.

 

Para a Ouro Preto, a operação está alinhada à estratégia de expansão das suas atividades de exploração e produção de petróleo e gás natural por meio de operações de farm-in (aquisições parciais ou totais dos direitos de concessão detidos por uma empresa).

 

Fonte: FIERN

0 comentário(s)

[ALRN] DEPUTADO COMENTA ESCOLHA DE GESTORES EM ESCOLAS TÉCNICAS E UNIVERSIDADES

Os deputados Sandro Pimentel (PSOL) e Francisco de PT se pronunciaram na sessão desta terça-feira (15), no horário destinado às lideranças. Francisco comentou sobre o auxílio emergencial para o setor cultural e também sobre os problemas na malha viária do Estado do Rio Grande do Norte, e Sandro voltou a falar sobre a escolha de gestores de escolas técnicas e universidades por meio de eleições diretas.
“Causa indignação a quem defende a democracia, mobilizar toda a comunidade universitária e depois não valer nada. É um desrespeito”, disse Sandro, ainda se reportando às escolhas, pelo Governo Federal, dos reitores do IFRN e da UFERSA. “Isso não existe. Ou melhor, existe neste Governo que não respeita a democracia”, concluiu o parlamentar.
Sandro Pimentel lembrou que apresentou um projeto de lei obrigando as instituições a acatarem o mais votado em casos de eleições diretas, porém, por falta de respostas a questionamentos feitos pela Comissão de Constituição e Justiça, o projeto ainda não tramitou. Ele lembrou que a governadora Fátima Bezerra enviou para a Assembleia um projeto parecido com o dele, ressaltando que na UERN, o Governo já definiu que, na escolha do reitor, o mais votado será respeitado.
Em seu pronunciamento o deputado Francisco do PT informou que o Governo do Estado recebeu recursos federais, através da Lei Aldir Blanc, de incentivo à cultura, e vai anunciar o auxílio emergencial para profissionais que vivem de arte e de cultura no Rio Grande do Norte, e que foram prejudicados com a pandemia. O deputado também respondeu às críticas feitas em plenário pela oposição, sobre a qualidade nas estradas no interior do Estado.
“Depois de 10 anos sem recuperação, imagina como a governadora Fátima Bezerra (PT) encontrou a malha viária”, lembrou o parlamentar, dizendo que se junta aos colegas que cobram a recuperação das vias, mas sugere que se aponte de onde o Governo vai tirar dinheiro. “A última recuperação nas estradas foi feita no Governo da professora Wilma”, disse Francisco, afirmando que em dois governos nada foi feito pelas estradas do interior.
Fonte: ALRN