• 0Comentários

    FAMÍLIA E POLÍTICA NO RN: ALVES, MAIA E O SUPORTE DO SENADO

    Foto:

    É TERÇA, DIA 25 DE SETEMBRO

    A PARTIR DAS 18H, NO 3° PISO DO MIDWAY, GALERIA DO FOTÓGRAFO FERNANDO CHIRIBOGA.

    CONTO COM VOCÊ NO LANÇAMENTO DO MEU SEGUNDO LIVRO:

     

    CONFIRA ALGUNS TRECHOS DO QUE VOCÊ ENCONTRARÁ EM DETALHES NO LIVRO:

     

    Há mais de setenta anos, dois grupos familiares, Alves e Maia, têm ocupado, continuamente, importantes espaços de poder no Rio Grande do Norte, onde, nos períodos da Colônia, Império, ou mesmo em fases anteriores da República, nenhum outro grupo político foi tão longevo. À luz do realismo de Maquiavel, esse livro, fruto de nossa dissertação de mestrado, desnuda suas origens históricas, bases de formação e estratégias escolhidas e analisa os principais meios e os diversos instrumentos utilizados por essas famílias para permanecerem no poder ao longo do tempo, destacando dois deles: emendas parlamentares e financiamento de campanhas eleitorais.

     

    ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

     

    Apesar de, cronologicamente, os grupos político-familiares estudados serem sucessores temporais das velhas oligarquias potiguares, ao invés de se renovarem em relação ao modus operandi político, acabaram se constituindo como herdeiros de antigas práticas como patrimonialismo, nepotismo e assistencialismo, com o diferencial de terem se especializado na luta exitosa por espaços de poder. Há uma linha muito tênue entre o que é grupo político e o que é espaço de família. Há uma força significativa do elemento família, nas composições políticas que culminam com a formação de chapas para competições eleitorais. Em momentos podem até se diferenciar enquanto grupo político, mas são sempre família. Na prática, após eventuais rusgas, todos se recompõem.

     

    ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

     

    A sustentação política dos grupos familiares se dá por meio das “suas” bases e instrumentos disponíveis, que se alimentam do controle de partidos, verbas de campanha eleitoral pública e privada e da distribuição de emendas parlamentares. Além disso, destacamos os cargos políticos municipais, estaduais e federais que ocupam ou nomeiam, por meio dos quais têm acesso a outros orçamentos que controlam diretamente, no exercício desse cargo, ou nos quais influenciam, quando indicam nomes de aliados para o seu preenchimento. E, ainda, do uso de veículos de comunicação próprios ou de parceiros e da influência na distribuição e aplicação de verbas publicitárias públicas e privadas, que são utilizadas para desgastar as imagens públicas dos adversários e promover a construção positiva e fortalecimento das imagens dos próprios membros da família ou aliados de ocasião.

     

    ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

     

    FAMÍLIA E POLÍTICA NO RN: ALVES, MAIA E O SUPORTE DO SENADO.

    Quem são essas famílias? O que fazem para se manter no poder há mais de sete décadas? Como "chegaram lá"? O que acontece com os que exercem o poder sem sobrenome "ALVES" ou "MAIA" ?

    Espero contar com sua presença no lançamento do meu segundo livro. Ele é fruto da minha dissertação de mestrado em Ciência Política, que concluí em agosto.

    LOCAL: Galeria de Artes do fotógrafo Fernando Chiriboga, no Midway.

    DATA: 25 de setembro (terça)

    HORA: a partir das 18h.

    ACEITAMOS CARTÕES DE CRÉDITO

    VALOR: R$ 36,00

    Até lá!

    Informações: Robson Carvalho (84) 9 9982 7916

Comentários

Deixe seu comentário

  • Marque para poder comentar: