• 0Comentários

    SUGESTÔES PARA SAIR DA CRISE:

    Foto:

    ( PARTE II ) UM POR TODOS E TODOS PELO RN

     

    Como simples e humilde cidadão, inconformado com a situação do Estado e na tentativa de fazer alguma coisa, atrevo-me a sugerir à classe política: 


    1) –  Governador Robinson Faria: Solicitar ao Presidente Michel Temer ou a qualquer Ministro, um avião da FAB, para o dia 02 de janeiro de 2018 ou até no máximo dia 08/01/18 e nova audiência com o mesmo.

    2) – Pegar o celular e convocar para o voo com destino a Brasília (denunciando ao público quem faltar, e só voltando de lá com soluções concretas) os seguintes políticos e líderes do Estado:

    3) – Senadores aliados de Temer: Garibaldi Alves, Agripino Maia;

    4) – Senadora com interlocução junto aos movimentos sociais e sindicatos, Fatima Bezerra;

    5) – Presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira;

    6) – Presidente do Tribunal de Justiça, Expedito Ferreira;

    7) – Procurador Geral de Justiça, Eudo Leite (Ministério Público);

    8) – Presidente do Tribunal de Contas do Estado, Gilberto Jales.

    9) – Deputados Federais: Felipe Maia, Zenaide Maia, Walter Alves, Fabio Faria, Beto Rosado, Antonio Jacome, Rogério Marinho, Rafael Motta;

    10) – Presidente da Federação dos Municípios FEMURN Benes leocádio.

    11) – Presidente da FIERN, Amaro Sales; Presidente da FECOMERCIO, Marcelo Queiroz; Presidente da FCDL, Afrânio Miranda; Presidente da FAERN, José Vieira, Presidente da ANORC, Marcelo Passos.

     

    TODOS PRECISAM CHEGAR A UM ACORDO E UM RESPALDAR E APOIAR A DECISÃO DO OUTRO, COM SUPORTE DA MÍDIA. 

     

    SUGESTÃO DE ROTEIRO DA REUNIÃO:

    1) – Se cada um for discutir o percentual que cada político e cada poder, (seja no passado ou no presente) tem na crise, não sairemos do lugar; não adianta discutir o que deveria ter sido feito, mas o que será feito a partir de agora.

    2) – Cada um deverá assumir compromisso público com soluções, primeiro emergenciais,pressionando pela liberação de recursos junto ao Presidente Temer, já autorizados: empréstimo do Banco do Brasil R$ 850 milhões; da Caixa R$ 750 milhões; e o mais recente autorizado por Temer ao Governo, R$ 600 milhões; O QUE FALTA PARA LIBERAR? Se não há “boicotes políticos”, o silêncio está gritando...

    3) – Pagamento efetuado, pedir trégua aos profissionais da Segurança Pública e demais serviços essenciais em greve. A onda de saques, e as matérias “espontâneas” do Jornal Nacional ajudam a espantar turistas em momento que beneficia outros destinos e isso prejudica a própria arrecadação, necessária para pagar salários.

    4) – Depois com soluções de curto, médio e longo prazo, sobre que corte cada um fará em seu Poder, para enxugar cada um as máquinas e gabinetes que comanda; haverá demissão de pessoal? É possível cortar super-salários onde houver? Me parece ser necessário rediscutir o OGE - Orçamento Geral do Estado aprovado no início do mês e rever a distribuição orçamentária entre os próprios Poderes.

    5) – Sobras de poderes, dinheiro não gasto, independente se foi de arrecadação própria, deverá voltar obrigatoriamente para os cofres do Tesouro Estadual. Isso é indiscutível. Vivemos calamidade.

    6) – O rombo do Estado é algo em torno de R$ 01 Bilhão; a dívida ativa, com impostos que não foram pagos aos cofres do Estado chega a R$ 07 Bilhões: é possível “vender” essa dívida para algum banco para receber pelo menos R$ 2 bi? Rever concessões fiscais que não façam jus à aplicação da lei; como anda o PROADI?

    7) – Vender as contas dos poderes como já foi feito no passado, para arrecadar dinheiro com bancos que tem interesse em carteiras de clientes.

    8) – Como vai ficar o pagamento milionário, mensal, da ARENA DAS DUNAS? Poder ser suspenso? Renegociado? Ou o patrimônio em garantia ser dado para quitar a dívida? São mais de R$ 10 milhões por mês.

    9) – Como ficará a situação da UERN? É possível federalizar?

    10) – Pode-se pensar em vender a Potigas?

    PASSAGEM: Num avião só da FAB cabem todos e não precisa pagar passagens individuais.

    HOSPEDAGEM: Os apartamentos funcionais dos deputados e senadores, que são grandes e confortáveis, cabe todo mundo, e não precisa de diárias para ninguém.

    ALIMENTAÇÃO: Cada um paga o seu.

    Por fim, reitero o que eu disse em artigo anterior: se não houver união, se não pararem de pensar em eleições 2018, cada poder olhar para si, não chegaremos a lugar nenhum. Não dá mais para fazer política como se fazia há 60 anos atrás. O leite das tetas da vaca vai faltar para todos e a violência baterá a porta de cada um.

    UM POR TODOS E TODOS PELO RN

    *Robson Carvalho é cientista político, mestrando na área e especialista em gestão pública pela UFRN. Autor do livro Manual do Cidadão e apresentador de programas de Radio e TV no RN.
     

Comentários

Deixe seu comentário

  • Marque para poder comentar: