0 comentário(s)

Uma laranja podre poderá contaminar todo o cesto.

 

É do instinto de sobrevivência de parte dos políticos que estão no poder: Na campanha, temos um discurso, na prática, depois de eleito, achando bom o cargo e já enxergando o que precisará fazer no horizonte para permanecer na cadeira, o instinto de sobrevivência e de perpetuação no poder fala mais alto.

Uma série de medidas, que já haviam sido barradas no senado, foram permitidas ontem pela Câmara.

Uma delas, a flexibilização no uso do fundo partidário e na prestação de contas. Se tudo ao final passar a valer como está aprovado, por exemplo, os candidatos poderão pagar contador e advogado, para assuntos relacionados às suas campanhas particulares, com dinheiro do fundo eleitoral. Tal fato, abre brecha para o superfaturamento de contratos e consequentemente para o caixa dois, além do que, poderá haver burla no que permite a lei em termos de contratação dos escritórios.

Geralmente, o que acontece na prática é que vários profissionais oferecem “gratuitamente” seus serviços na campanha e depois, se o candidato for eleito, contrata os serviços pelos próximos quatro anos. E, assim, o valor da nota fiscal emitida pela prestação de serviços na campanha, volta pro bolso do candidato como caixa dois pra campanha.

Além disso, o projeto alterado pela Câmara, volta a permitir que fichas-sujas sejam candidatos e eleitos, já que até a data de posse poderá haver julgamento. Regra que não foi permitida na eleição passada, que por exemplo, não permitiu o registro de diversas candidaturas, dentre elas, a do ex-presidente Lula. E nada de mobilização contra, nem protesto, nem “arminha”.

Há também um outro trecho do projeto que afasta o finado COAF dos calcanhares de fiscalização dos partidos.

Porém, graças a uma decisão do TSE, pelo menos no dia de ontem, nem tudo foi negativo para a tentativa de implementação de um jogo eleitoral mais justo, ético e transparente.

Me refiro a uma notícia que poderá colocar um freio em um dos artifícios usados por boa parte dos partidos, que são as candidaturas laranjas, especialmente a de mulheres.

Neste caso, esta decisão do TSE provocou um “reboliço” nos bastidores do Congresso Nacional, pois um grupo de seis vereadores foi cassado, por ter sido descoberta uma candidatura laranja feminina no meio da coligação deles.

No mínimo, o que se espera é que pelo menos os próprios candidatos que concorrem entre si nos partidos, passem a ser fiscais atentos para que este tipo de situação não ocorra no interior do seus partidos, sob pena de que, mesmo que alguém seja eleito se aproveitando ou não dos recursos e votos de uma candidatura forjada pra cumprir tabela, possam perder os seus mandatos, já que esta decisão do TSE aponta para que casos assim, anularão todos os votos do partido ou das coligações (se elas valerem para 2020).

O recado vem muito claro para as próximas eleições: uma laranja podre, poderá contaminar todo o cesto.

0 comentário(s)

Governadora participa de seminário para fortalecimento do Turismo no estado.

Representantes dos municípios que integram o Mapa do Turismo no Rio Grande do Norte e membros dos conselhos regionais dos cinco polos turísticos do estado participaram nesta quinta-feira, 19, do Seminário de Formalização e Fortalecimento de Instâncias de Governança Regionais (IGR’s), realizado pela Secretaria Estadual de Turismo, no Centro de convenções de Natal. A atividade teve o objetivo de orientar e esclarecer as dúvidas sobre a formalização das instâncias de governança nas regiões, proporcionando o diálogo de estratégias para incentivar o processo de regionalização do Turismo.

A governadora Fátima Bezerra participou do evento, que teve uma série de palestras, intercâmbio de experiências e conhecimentos, exposições, e destacou a importância do Turismo na economia e no desenvolvimento do estado.

“Com a realização desse encontro nós queremos incentivar a regionalização do Turismo, esse setor que é uma área estratégica para o nosso desenvolvimento. Em meio a toda crise financeira que encontramos o estado, estamos focando nossos esforços em muito trabalho, planejamento e seriedade para impulsionar a economia. Vamos potencializar cada vez mais nossas capacidades, sempre dialogando e buscando atrair investimentos e gerar mais empregos. Os frutos já estão aparecendo. Com a redução do ICMS sobre o QAV, por exemplo, o Rio Grande do Norte conseguiu a liberação de novos voos com destinos diversos saindo de Natal. São medidas com critério e objetivos”, destacou a governadora.

O seminário foi concebido após a divulgação do novo Mapa do Turismo pelo Governo Federal, em agosto passado, quando 13 municípios potiguares passaram a integrar o novo Mapa do Turismo Brasileiro 2019 – 2021. São eles: Pedro Velho, Santo Antônio, Japi, Riachuelo, Upanema, Serra do Mel, Pendências, Fernando Pedroza, Vila Flor, São Francisco do Oeste, Olho d’água dos Borges, Jardim do Seridó e São João do Sabugi. A inclusão é resultado do trabalho da Secretaria Estadual de Turismo, que orientou os municípios para o cumprimento dos critérios, ao longo das reuniões dos polos turísticos do estado.

“É mais uma ação que irá integrar o trabalho realizado pela secretaria com o que vem sendo realizado pelos polos regionais para fortalecer a atividade”, declarou a secretária de Turismo, Ana Maria Costa.

O evento contou com representantes das instâncias de governança regional do Circuito do Ouro de Minas Gerais, da Adetur Cataratas, no Paraná e da Trilhas dos Potiguaras, na Paraíba, além do consultor europeu Andreas Dohle, que já realiza projetos no RN.

 

Fonte: Governo do RN

0 comentário(s)

Justiça rápida no processo do outros é refresco

Vejam vocês como o mundo dá voltas: Quando é contra adversários, chovem os pedidos de celeridade e as críticas de que a justiça brasileira é lenta. Mas quando se trata de aliados ou do próprio “umbigo”, se o processo andar menos lento, é perseguição.

Nesse “puxa-encolhe” está um dos processos que mais desperta a atenção do povo brasileiro: A investigação de casos de corrupção que incluem peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa por parte de Flávio Bolsonaro. É o mesmo caso que investiga o “faz-tudo” da família, companheiro de pesca de Bolsonaro e ganhador de dinheiro, o desaparecido Fabrício Queiroz, o “Queiroz”.

Primeiro, o Senador Flávio Bolsonaro queria se aproveitar do foro privilegiado logo que assumiu o mandato – Muita pressa. Não deu certo. Depois, queria que o STF desse uma “travadinha” no seu processo… Dias Toffoli atendeu ao seu pedido numa decisão polêmica que abre brecha para a paralisação, inclusive, de diversos outros processos de investigação de corrupção e outros crimes no Brasil.

Naturalmente, depois do “toma-lá-dá-cá”, para cumprir sua parte no acordo, “com o Supremo, com tudo…”, gritou ao telefone com sua própria colega de partido, uma juíza, exigindo que ela retirasse a sua assinatura de apoio à CPI da Lava Toga para investigar Ministros do Supremo. Logo quem… Um dos representantes da “nova política”.

Sem contar que o pai já sepultou o COAF, que descobriu as tramoias do filho. Aliás, lembro que alguém andou dizendo que: “bastava um cabo e um soldado para fechar o Supremo”, quem foi mesmo que disse isso? Alguém lembra? A novidade agora é que para este cara a “lenga-lenga” de ganhar mais tempo pede que o seu processo volte para a segunda instância, para que seja julgado com foro privilegiado na Justiça Estadual do RJ.

E mais, Flávio Bolsonaro – que diz que não tem nada a temer – pede que tudo que há contra ele no processo seja anulado e recomece do zero.

Será uma piada? Fico me perguntando, o que será que ele e seus exércitos das Redes Sociais – paladinos da moralidade – pediriam em “praça pública” e aos gritos se fosse um processo contra Lula, qualquer um outro membro do PT ou de seus adversários?

0 comentário(s)

Parnamirim consegue um feito histórico.

O prefeito de Parnamirim Rosano Taveira conseguiu aprovar hoje (18) um dos mais importantes projetos da história do município. Em reunião no Alto Comando da Força Aérea Brasileira, em Brasília, aprovou junto à Aeronáutica o Projeto do Centro Cultural Trampolim da Vitória CCTV, que será instalado no terminal de passageiros do aeroporto Augusto Severo. Um projeto de grande importância, que além de dar funcionalidade ao antigo terminal, vai impulsionar fortemente o turismo da cidade e da região, gerando mais emprego, renda e oportunidades de negócios. Uma grande vitória do povo de Parnamirim. Parnamirim tem trabalho.

 

Fonte: Prefeitura de Parnamirim

0 comentário(s)

Pacote Anticrime será debatido em evento na Arena das Dunas.

Principal pauta jurídica do ministro Sérgio Moro, o Pacote Anticrime será o tema central do principal evento jurídico realizado em Natal no segundo semestre de 2019. O Fórum Regional de Discussão da Reforma Anticrime acontece no próximo dia 27 de setembro, na Arena das Dunas, em Natal. O evento vai reunir juízes, advogados, promotores, procuradores, desembargadores, estudantes de direito e juristas de uma maneira geral. Os últimos ingressos podem ser adquiridos no endereço eletrônico: www.forumanticrimenatal.com.br.

Entre os convidados do evento, o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro (BSB), o Kakay, com 17 clientes na Lava Jato, a procuradora Thaméa Danelon (SP), ex-coordenadora da Operação, o advogado José Eduardo Cardozo, ex-Ministro da Justiça e ex-advogado-geral da União do Brasil, prometem esquentar o debate para os presentes. A lista de palestrantes conta ainda com renomados nomes da área jurídica locais e nacionais. Entre os quais, o juiz federal Walter Nunes (RN), o advogado Fabrizio Feliciano (RN), o juiz Ricardo Tinôco (RN), além do procurador regional da república Marcelo Alves (PE).

Além do palco para debates, o evento contará ainda com a 1ª Exposição Jurídica Potiguar, espaço para feira de entidades públicas e privadas ligadas ao direito. O local abrigará estandes abertos para visitação do público durante todo o dia. 90% já foram comercializados.

O evento conta com o apoio institucional da Justiça Federal do RN e da Associação dos Magistrados do RN (Amarn). As inscrições estão abertas no endereço eletrônico: www.forumanticrimenatal.com.br, em três categorias “estudantes, convênios e profissionais”. As vagas são limitadas. O evento tem o patrocínio da Damásio Educacional, Harabello Turismo, UniFacex, Oral Estética, Unimed Natal e EVO MKT. A realização é da Ozzy Eventos.

0 comentário(s)

Parnamirim: Conselho Municipal de Transportes reajusta tarifa do Interbairros.

Foi publicado no Diário Oficial do Município do último dia 14, o reajuste das tarifas do transporte Interbairros. O Decreto nº 6.075 fixa o aumento aprovado pelo Conselho Municipal de Transportes e Tarifas – CMTT, em reunião ordinária realizada no dia 28 de agosto de 2019, no percentual de 10% (dez por cento) para os transportes Interbairros de Parnamirim.

Os novos valores passaram a valer a partir desse sábado (14), quando a população passou a perceber a cobrança de R$ 3,30 (três reais e trinta centavos) para as linhas de 1 a 5 e R$ 4,40 (quatro reais e quarenta centavos) para a linha 6.

O Conselho recebeu o pleito dos representantes das cooperativas solicitando 45,6% de reajuste, baseado nos critérios de aumento salarial de motoristas e cobradores, aumento nos preços dos combustíveis, desgaste dos veículos e demais fatores.

O CMTT, para não repassar todos os custos para o consumidor, resolveu calcular o reajuste baseado no aumento do preço do óleo diesel do período e do salário mínimo o que representa cerca de 9,5%. O Conselho arredondou o valor e fixou o reajuste, que é feito anualmente, em 10% do valor cobrado nas passagens.

O Conselho Municipal de Transportes e Tarifas é composto por membros da Secretaria Municipal de Segurança, Defesa Social e Mobilidade Urbana – SESDEM, Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte – DETRAN/RN, Cooperativas de Transportes, Taxistas e Mototaxistas, entre outros membros.

 

Fonte: Prefeitura de Parnamirim.

0 comentário(s)

CRISE DO PETRÓLEO REFORÇA IMPORTÂNCIA DA PETROBRAS PARA ECONOMIA DO BRASIL

 

Os ataques à produção de petróleo na Arábia Saudita, ainda precisam de muitos esclarecimentos sobre qual foi o prejuízo real, quem de fato provocou os ataques e com quais objetivos.

No tabuleiro da geopolítica mundial, a cada peça movida, há os que ganham e os que perdem imediatamente, principalmente quando se trata de acontecimentos em relação a recursos estratégicos.

Em um primeiro momento, o que enche os bolsos dos que investem em ações da Petrobras, brevemente poderá causar ataques aos bolsos dos brasileiros.

Esse acontecimento na Arábia Saudita é uma prova do quanto a política de preços e estratégia de gerência da Petrobras, que vem desde Michel Temer – e está sendo mantida por Bolsonaro – está errada, pois o petróleo é fundamental para a economia brasileira.

Estávamos praticamente autossuficientes em petróleo, no que diz respeito à extração e refino. Desde Temer e Bolsonaro a Petrobrás passou a diminuir o refino no Brasil, de 90 para 70%, passando a exportar o óleo bruto e depois comprar de volta, refinado, pagando mais caro, em dollar, sem controle de preços e gerando emprego e renda fora do Brasil.

Além disso, vem mantendo uma política de preços que acompanha o valor internacional, que, principalmente com as altas, prejudica ao bolso dos brasileiros, apesar de dar lucro aos acionistas. O lucro social, já não é mais levado em consideração.

Tudo isso, reforça o argumento do quanto a Petrobras é fundamental para todas as cadeias da nossa economia e que por isso, não deve ser privatizada.

Se havia (ou se ainda houver) corrupção, reflita comigo: Caso exista carrapato no boi, o correto não seria dar veneno para matar o carrapato ao invés de vender o boi – a preço de banana – e depois ter que comprar sua carne, pagando mais caro ao seu novo dono?

O Brasil perderia de vez sua autonomia em um setor estratégico para nossa economia. Deixaria de ser monopólio do Governo brasileiro para ser monopólio de uma empresa americana.

Algo parecido com o que ocorre com as companhias elétricas privatizadas. Quem é mesmo o concorrente da COSERN? Onde está o livre mercado? Os preços aumentaram ou diminuíram?

Imaginem se, em uma situação como essa da Arábia Saudita, o Governo brasileiro não fosse mais dono da Petrobras e não tivesse nenhum controle sobre os preços da Petrobras? O aumento já teria sido repassado de imediato para os nossos bolsos.

Esse problema internacional demonstra como é importante que o país tenha a condição de segurar e interferir nos preços quando for necessário e de acordo com os interesses estratégicos do Brasil e não de investidores que não tem compromisso com o Brasil.

Aí está a diferença fundamental de quando se coloca a empresa a serviço de uma nação. Por isso, no nosso entendimento, a Petrobras deve permanecer como um patrimônio estratégico do povo brasileiro e deve voltar a priorizar o refino no país, gerando emprego e renda aqui e não lá fora, tanto em relação à produção de combustíveis quanto em relação à gigantesca cadeia produtiva da indústria petroquímica que se instala nos arredores das refinarias.

Isso é o que tem condições de garantir a nossa autonomia para escapar de crises, ora reais, ora fabricadas, na economia e no petróleo mundial.

Pelo tipo de política de preços que o Governo brasileiro vem mantendo em relação à Petrobras, não se sabe até quando se conseguirá manter o valor sem aumento para nós, consumidores, o que poderá impactar em aumento em todos os setores da economia do nosso país, em virtude do aumento no diesel, da gasolina e do querosene de aviação, e por consequência em todos os preços, sejam eles dos alimentos às passagens aéreas, sem contar com a possibilidade de uma nova greve dos caminhoneiros.

0 comentário(s)

ENTREVISTA DO BOA TARDE CIDADÃO: PROF. WYLLYS TABOSA, REITOR DO IFRN.

 

Fala, Cidadão!

Em entrevista ao nosso “Boa tarde, Cidadão”, o Prof. Wyllys Tabosa, Reitor do IFRN, comenta sobre os trabalhos realizados, a contribuição econômica e social do Instituto Federal para o nosso Rio Grande do Norte e mais: algumas consequências dos cortes na educação!

Venha ver o vídeo da entrevista!

0 comentário(s)

Você já propagou alguma Fake News?

Você já propagou alguma Fake News?

Primeiro é preciso ter condições de discernir se uma notícia é verdadeira ou falsa. Isso porque já existem diversos estudos que mostram que há uma tendência às pessoas acreditarem em quase qualquer tipo de notícias se elas concordarem com ela, mesmo que ela seja falsa.

Há vários tipos de notícias falsas. Aquelas que são completamente falsas, fruto de uma criação para atender a um objetivo, muitas vezes desviar o foco das pessoas de um determinado assunto. As que são a montagem de um fato antigo misturado com um novo, ou uma notícia velha com uma foto atual, ou ainda ao contrário: Uma foto antiga com um texto escrito na atualidade.

Uma característica importante das notícias falsas é o apelo psicológico e o impacto que elas causam, com um conteúdo sensacionalista e geralmente acompanhado de algumas palavras como: “Urgente! Absurdo! Repassem! Vejam isso! Olha o que os canalhas estão fazendo!”.

Geralmente se propagam pelas redes e mídias sociais e o meio preferido e mais veloz de divulgação – ou viralização – como alguns chamam é o “WattsApp”, pois essa ferramenta, em geral, conecta pessoas que se conhecem mais intimamente e as pessoas acabam repassando um conteúdo com base na confiança, não na notícia que recebe, mas na pessoa que envia.

Temos também uma situação, diante da competição pela atenção, velocidade da publicação e audiência das pessoas por parte dos veículos de comunicação já conhecidos, onde o sensacionalismo ou a notícia não checada com os devidos cuidados pode ser falsa, no todo ou em parte.

Mas, nada supera o campo fértil das redes e mídias sociais para a propagação de mentiras: Por exemplo, em março de 2018, um estudo do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, dos Estados Unidos, concluiu que notícias falsas se espalham pelas redes sociais com uma velocidade seis vezes maior do que notícias verdadeiras.

Agora, um novo estudo (do Psych Central) confirma dados sobre o impacto negativo das fake news: “As pessoas retêm notícias falsas por longos períodos”, e isso ocorre principalmente quando essas informações estão alinhadas às suas crenças. Como assim? da seguinte forma: “Se uma informação mentirosa circula sobre um político de quem uma pessoa não gosta, ela está mais propensa a se lembrar daquela informação como sendo verdadeira por meses (ou anos) e que isso influencia diretamente na escolha do voto pelos cidadãos e, consequentemente, nos resultados dos processos eleitorais.”

No livro “A morte da verdade”, foram divulgadas também pesquisas onde os cientistas criavam situações que, mesmo absurdas, ainda convenciam pessoas que acreditavam naquilo – que de propósito havia sido criado. Um bom exemplo é a estória de que as lâmpadas fluorescentes geravam uma influência que manipulava as pessoas.

É preciso muito cuidado e responsabilidade ao receber e principalmente repassar informações. Muitas águas ainda vão rolar em meio a este assunto, pois está no ar uma nova CPI, a CPI das Fake News.

E você? Já propagou alguma Fake News, sem querer ou querendo?